ABSURDO: Mais de 500 casos confirmados de Covid-19 na PM-RO e escalas de serviço voltam ao normal

terça-feira, 25/08/2020 às 15h28min
ABSURDO: Mais de 500 casos confirmados de Covid-19 na PM-RO e escalas de serviço voltam ao normal

As forças de segurança do estado de Rondônia também foram impactadas pela pandemia do coronavírus. Segundo dados da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), reunindo informações da Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Penal, Perícia Penal e Corpo de Bombeiros, desde o início da pandemia, no mês de março até a última sexta-feira (21), morreram oito servidores dessas instituições, vitimados pela doença.

Já em relação aos casos confirmados, eles somaram 932 nas cinco forças de segurança, sendo que o maior número de servidores nessa situação está na Polícia Militar, onde 500 PMs contraíram a doença. 

Mesmo com maior índice de contaminados o Comandante Regional de Policiamento – I, Coronel DRAYTON FLORÊNCIO DA SILVA, DETERMINOU aos respectivos Comandos/Área que adotem todas as medidas permanentes e necessárias para ajustar suas escalas de serviço ordinário, vez que não se faz mais oportuno manter a amplitude das escalas em 12x24x96, haja vista ter servido de elementar estratégico temporal, razões pelas quais, a partir do dia 31 do corrente mês, todas as OPMs subordinadas a este CRP-I,DEVERÃO estar operando – respeitado a peculiaridades da escala – com folga de 12x24x72, com ressalva para os posto fixos, cujos quais devem operar com intervalos de 12x24x48.

Lembrando que no dia 7 de agosto o Comandante Geral da PM, Coronel Almeida, afirmou nas redes sociais que as escalas iriam permanecer 12x24x96, todavia, passado quase duas semana as escalas voltaram ao normal, com uma ressalva, que as escalas dos postos fixos terão uma redução ainda maior para 12x24x48.

A ASSFAPOM estará tomando todas as medidas legais dentro de sua competência, na tentativa resguardar a saúde dos militares e seus familiares, pois até o presente momento não temos vacinas disponíveis para todo o POVO brasileiro.

Fonte: ASSFAPOM